• Instagram
  • Facebook
  • Twitter

Blog Caneta de Pena com Dayana Vaz

  • painel home foto aviao
  • painel home foto5
  • painel home foto6
Sábado20Dezembrode 2014

Slow parenting – você sabe o que é isso?

Postado por: Cristina Martins , em: 2014 - Atualidades

“Ah! Se vendessem paciência nas farmácias e supermercados muita genteiria gastar boa parte do salário nessa mercadoria tão rara hoje em dia.”

É indiscutível esta parte de um texto de Arnaldo Jabor, “Paciência”. Assim como, infelizmente, é indiscutível o nosso hábito de andar sempre à pressa. “Anda logo, menina, acorda, tá na hora de ir pra escola!!!” “Ai, gente, que demora pra ligar esse computador!!!” Pressa, pressa, pressa... ufa! Cansei...

E nesse afã de tentar mudar um pouco em 2015 (eu sei, aquelas mudanças quetentamos, nem sempre conseguimos, mas o que custa tentar?) é que comecei a pesquisar mais sobre o movimento “slow” (“devagar”, em inglês). Quem deu o pontapé (slowmotion, claro) nessa idéia foi o canadense Carl Honoré, que viveu no Brasil nos anos 90. O que mais me chamou a atenção dentre tudo o que ele escreve sobre este movimento é a questão do “slow parenting”, ou seja, a desaceleração na criação dos filhos.

Calma, não é simplesmente fazer tudo de forma mais lenta. Na verdade, toda a teoria que envolve o movimento baseia-se na certeza que a desaceleração proporciona resultados melhores. Questionando a obsessão contemporânea, podemos concluir que a velocidade não é a melhor política.

Os partidários desse conceito garantem que enchê-las de atividades visando prepará-las para o futuro - quer dizer, para o mercado de trabalho - e cobrar perfeição pode gerar o efeito contrário do esperado, pois a probabilidade de torná-las adolescentes e adultos menos criativos, apáticos, desinteressados e sem iniciativa é grande.

Não, não sou retrógrada e não, não sou contra estimular as crianças, mas aos sete anos, uma criança que vai ao inglês, natação, violão, balé, guitarra e karatê não é demais? E a cara feia que já fizeram quando contei que Sofia não tem nenhuma atividade durante a semana? Pareciam estar conversando com um ET!

As crianças hoje já nascem com os pais desejando que andem ao chegar em casa.Querem que ao mesmo tempo a criança já tenha um vocabulário refinado para a idade. Onde querem chegar?

Agora vejo, mais do que nunca, a utilidade do bordão de um certo programa: “Pavio looooooooongo!”

Que tal umas dicas para desacelerar?

1. Experimente não ler sites e manuais para pais durante uma semana. Tente descobrir seu próprio estilo de maternidade/paternidade e o que funciona melhor para sua família. Não se preocupe com a educação que seus amigos dão para os filhos.

2. Quando levar seu pequeno ao playground, resista à tentação de interferir e sempre ser a parceira dele nas brincadeiras. Afaste-se um pouco para que ele brinque sozinho ou com outras crianças.

3. Deixe horas livres na semana, sem atividades estruturadas, para que a família simplesmente se reúna para descansar, conversar, jogar, cozinhar ou se dedicar a qualquer outra coisa prazerosa que der na telha.

4. Permita que seu filho conte naturalmente como foi o dia na escola, em vez de exigir um relatório completo assim que ele chegar.

5. Defina períodos do dia em que as crianças devem desligar o computador, se desconectar e afastar-se de qualquer gadget.

Não fique aí fazendo alguma coisa, fique quieto!

E se tiver tempo, leia um livro... DEVAGAR.

  • 3a81d81177a0a2c1_famth.xxxlarge
  • slow_summer_feet_up_in_grass_460x306

Deixe um comentário

Você está comentando como visitante.

Sobre a Autora

Facebook

Equipe

equipe thumbs cristina equipe thumbs tylho
equipe thumbs gabriela equipe thumbs lenise

Ao Infinito e Além

acesse Ao infinito e além!

Na Mídia

acesse Na Mídia

Histórias e Entrevistas

acesse Ao infinito e além!

Vídeos

Visite-nos

  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
© 2013 - Todos os direitos reservados

Blog Caneta de Pena com Dayana Vaz.

 

Equipe

Instagram

instagram foto

Parceiros

“Grandes realizações são possíveis quando se dá importância aos pequenos começos.”

Lao-Tsé
Créditos: Conexão | Genuinne

Arquivo de posts